VENTO QUE BALANCA A CANA NO CANAVIAL

Vento que balanca a cana no canavial
Vento que balanca a cana no canavial

Refrao:

Na varanda da casa-grande
Coronel descansava na rede
Escravo no canavial
Morria de fome e de sede

Refrao:

Na capela da fazenda
Sinhá ia confessar
Coberta com manto de renda
Ajoelhada no altar

Refrao:

Sinhorinho no terreiro
Maltratava o ere
A mucama na cozinha
Lamentava por nada fazer

Refrao:

Capataz atordoado
Acordando em desespero
Uma família dos escravos
Havia fugido do cativeiro